Irã defende embargo de petróleo para países que apoiam Israel

O presidente do Irã disse na quinta-feira que a imposição de um embargo ao fornecimento de petróleo aos países que apoiam o ataque de Israel a Gaza é uma "boa proposta", mas que não considera pôr tal ideia em prática ainda. Mahmoud Ahmadinejad foi questionado sobre o pedido de um comandante iraniano, feito neste mês, para que fosse estabelecido um embargo de petróleo aos países que apoiam Israel. "Acho que é uma boa proposta, caso os países árabes colaborem. Não pode ser assim, os países fornecem petróleo e este petróleo vira uma bala, um míssil ou uma bomba nas cabeças das pessoas em Gaza. Esta equação não é justa", disse Ahmadinejad. "Mas uma coisa assim ainda não faz parte da agenda", disse em uma coletiva. O Irã, quarto maior produtor de petróleo do mundo, disse no passado que o petróleo pode ser usado como uma arma em suas disputas com os inimigos. Um representante do líder supremo do Irã disse na quarta-feira que o petróleo pode ser usado como uma arma contra Israel, os Estados Unidos e seus aliados, 10 dias depois do comandante militar iraniano ter pedido aos países islâmicos que cortem suas exportações aos países que apoiam o Estado judeu. Mas a Arábia Saudita, maior produtora da Opep, disse na semana passada que os produtores do Oriente Médio devem ignorar o pedido do comandante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.