Irã defende nova redução na produção de petróleo da Opep

Preço do barril desabou nos últimos meses e chegou a US$ 47,73 na quinta; Irã é segundo maior produtor

EFE

15 de novembro de 2008 | 13h18

O Irã anunciou neste sábado, 15, seu apoio a uma nova redução na produção de petróleo, diante da queda dos preços internacionais, e antecipou que uma decisão nesse sentido será adotada no final deste mês, na reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) no Cairo.   "Para fazer frente à queda dos preços e à instabilidade dos mercados, o Irã apóia o corte da produção", disse à televisão o representante iraniano na Opep, Mohammed Khatibi.   O Irã é o segundo maior produtor de petróleo entre as nações da Opep. Em setembro, segundo o último relatório mensal da organização, extraiu 3,92 milhões de barris, menos da metade do principal produtor do cartel, a Arábia Saudita, com 9,38 milhões.   O preço do barril da Opep chegou na quinta-feira a US$ 47,73, o valor mais baixo desde que a nova cesta de referência começou a ser adotada, em junho de 2005.   Khatibi confirmou que a redução será analisada na reunião extraordinária de ministros da Opep convocada para 29 de novembro na capital egípcia, já que as últimas reduções na produção "não tiveram efeito".   "A atual situação do mercado é preocupante", acrescentou. Em 24 de outubro, em Viena, a Opep aprovou uma redução de produção em 1,5 milhão de barris diários, que entrou em vigor em 1º de novembro. Essa baixa implicou em um corte de 5% da extração dos países do cartel.

Tudo o que sabemos sobre:
opeppetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.