Irã descarta trocar programa nuclear por vantagens comerciais

O líder supremo do Irã, aiatolá AliKhamenei, acusou os EUA de mentirem conscientemente ao acusar opaís de desenvolver armas nucleares, e reiterou a posição deque a República Islâmica não está disposta a abrir mão de seuprograma nuclear em troca de benefícios comerciais. Numa cerimônia pelo aniversário da morte de seu antecessor,aiatolá Ruhollah Khomeini, morto em 1989, Khamenei disse que "oIrã não está atrás de armas nucleares, está atrás de usarpacificamente a energia nuclear". "Vamos seguir esse caminho, vamos alcançá-lo", disse ele emdiscurso pela TV oficial. A recusa do Irã em suspender as atividades deenriquecimento de urânio, que pode servir de base para umprograma armamentista, já levou a ONU a impor três pacotes desanções ao país. Teerã diz que o objetivo do programa nuclear éapenas gerar energia e exportar seus excedentes de gás epetróleo. Khamenei disse que "hoje em dia nenhuma pessoa ouautoridade lógica vai atrás de armas nucleares". "A nação iraniana é contra esse tipo de armas, que nãotrazem nenhum poder a uma nação, já que não podem ser usadas",afirmou ele à multidão reunida no templo onde Khomeini estásepultado, perto de Teerã. Ele prometeu que o Irã vai se contrapor à "intimidação" dosEUA e disse que os membros do governo Bush "falam comopsicopatas". "Às vezes eles fazem ameaça, às vezes dão a ordem para oterror, às vezes pedem ajuda, porque estão desesperados, e àsvezes fazem acusações. (...) Eles se batem [contra paredes] quenem loucos." As potências mundiais preparam um novo pacote de estímuloscomerciais para tentar convencer o Irã a abrir mão do programaatômico, atualizando uma tentativa feita em 2006, que foirejeitada. Em Nova York, o embaixador dos EUA na ONU, ZalmayKhalilzad, afirmou que o chefe de política externa da UniãoEuropéia, Javier Solana, vai dia 14 ao Irã apresentar o pacote.Em Bruxelas, o gabinete de Solana disse que ainda não há data. Diplomatas disseram que o novo pacote aprofunda a oferta decooperação no campo da energia nuclear civil e amplia asoportunidades de comércio nos setores de aviação civil,energia, tecnologia e agricultura -- desde que Teerã suspenda oenriquecimento. (Reportagem adicional de Mark Heinrich)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.