Irã desconsidera elevar representação em diálogo com EUA

Ministro de Exteriores iraquiano nega a existência de negociações sobre o Iraque sem representantes de Bagdá

Efe,

30 Julho 2007 | 08h04

O governo iraniano afirmou nesta segunda-feira, 30, que não vê necessidade de elevar a categoria de sua representação nas negociações que mantém com os Estados Unidos sobre a segurança no Iraque, informou a agência Irna. O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Mohamad Ali Hosseini, assegurou que o país "não apresentou nenhum pedido neste sentido", enquanto descartou que Irã e EUA negociam sobre o Iraque sem a presença de representantes de Bagdá. Vários responsáveis iraquianos, encabeçados pelo presidente do Iraque, o curdo Jalal Talabani, sublinharam a necessidade de elevar a categoria de representação nessas conversas, cuja primeira rodada aconteceu em 28 de maio e a segunda no último dia 24, em Bagdá, entre embaixadores. O chefe da diplomacia iraniana, Manouchehr Mottaki, tinha assegurado recentemente que a República Islâmica "estudaria" o assunto se os Estados Unidos apresentassem uma solicitação de forma oficial para que as negociações sobre o Iraque fossem realizadas por "assessores de ministro", no lugar de embaixadores. Hosseini confirmou que durante a reunião do dia 24 as delegações de EUA, Irã e Iraque acordaram a criação de uma "comissão de segurança", e que as três partes "mantêm consultas agora sobre sua formação".

Mais conteúdo sobre:
Irã Iraque EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.