Irã detém nove supostos responsáveis por ataques suicidas, diz TV

Atentado da quarta-feira, deixou 39 mortos durante celebração religiosa

REUTERS

16 de dezembro de 2010 | 16h49

TEERÃ - O Irã prendeu nesta quinta-feira, 16, nove pessoas que seriam responsáveis por dois ataques suicidas no sudeste do país que mataram 35 pessoas, disse um funcionário do Ministério da Inteligência, segundo a televisão estatal.

 

O grupo rebelde sunita Jundollah reivindicou a autoria das explosões ocorridas diante de uma mesquita na quarta-feira, durante uma cerimônia religiosa xiita, dizendo que foram uma retaliação pela execução do líder do grupo, em junho.

 

Na quarta-feira foi informado que os ataques tinham deixado 39 mortos. Não se sabia de imediato porque esse número caiu para 35 no dia seguinte.

"Em uma operação especial de inteligência, funcionários do Ministério da Inteligência conseguiram prender oito outros terroristas responsáveis por e vinculados a este crime na ... província de Sistan-Baluquistão, esta manhã," uma fonte no ministério, segundo a televisão estatal da República Islâmica.

O funcionário, que não foi identificado, disse que os ataques foram "guiados pelos serviços de inteligência dos inimigos, com o objetivo de gerar insegurança e impedir a prosperidade econômica da região sudeste do país."

As duas explosões na cidade de Chabahar deixaram mais de 100 feridos. A mídia iraniana disse que muitos dos mortos e feridos foram mulheres e crianças.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAATAQUESSUICIDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.