Irã diz que agência nuclear da ONU pode visitar país em janeiro

Uma equipe de altos funcionários da área nuclear da ONU poderia visitar o Irã em janeiro, disse à Reuters o embaixador da República Islâmica na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

REUTERS

22 de dezembro de 2011 | 12h47

Ali Asghar Soltanieh havia dito na terça-feira que o Irã havia renovado um convite para uma equipe da AIEA viajar para Teerã e deu a entender que autoridades iranianas estavam prontas para discutir os temores internacionais sobre o programa nuclear do país.

Mais tarde entrou em mais detalhes em uma entrevista para a Reuters Television na noite de quarta-feira, dizendo que os arranjos preliminares para a visita seriam feitos na primeira semana de janeiro.

"Qualquer dia depois disso, depois que a formação da equipe for finalizada, eles serão bem-vindos. Portanto eu entendo que talvez em janeiro essa visita seja feita", disse Soltanieh.

A última abertura do Irã para a agência da ONU sediada em Viena, que há tempos vem instando Teerã para resolver disputas sobre sua agenda nuclear, coincide com um aumento das sanções internacionais impostas ao país por causa de seu programa nuclear.

Diplomatas ocidentais tendem a enxergar tais convites como tentativas feitas pelo Irã, um importante produtor de petróleo, de ganhar tempo e amenizar a pressão internacional sem cumprir as exigências da ONU para suspender atividades que podem levar à fabricação de bombas atômicas e de ser transparente sobre seu programa.

Um enviado ocidental rejeitou nesta semana a nova oferta de conversações feita pelo Irã como parte de uma "ofensiva de charme" sem nenhum compromisso de Teerã "para discutir questões substanciais".

O Irã diz que enriquece urânio apenas para propósitos pacíficos, mas seus inimigos suspeitam que o país tenha objetivos militares.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAVISITAAIEA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.