Irã diz que 'alguns países' lhe ofereceram combustível nuclear

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou nesta quarta-feira que "alguns países" se ofereceram para fornecer ao Irã urânio enriquecido em 20 por cento para uso como combustível nuclear, segundo informou a agência de notícias oficial do país, IRNA.

REUTERS

07 de outubro de 2009 | 08h40

"Houve algumas propostas por alguns países individualmente e grupos e países. Estamos prontos para conversar com qualquer interessado. Nossos especialistas logo iniciarão as negociações com os possíveis vendedores", colocou.

Diplomatas iranianos afirmam que o Irã concordou em princípio, na semana passada, em conversas em Genebra, a enviar cerca de 80 por cento de seu estoque de urânio enriquecido a Rússia ou França para processamento futuro e retornar a Teerã para reabastecer os estoques para um reator na capital que produz isótopos para tratamentos contra o câncer.

"Representantes de alguns países afirmaram que a França está pronta para fornecer combustível nuclear para o reator em Teerã... os franceses devem fazer a proposta oficialmente, então iremos analisá-la", disse Ahmadinejad segundo a emissora estatal IRIB.

O presidente afirmou que até o momento nenhum acordo de compra foi firmado.

O Ocidente suspeita que a República Islâmica está procurando desenvolver armas nucleares de maneira disfarçada. O Irã nega. O urânio enriquecido pode ser usado como combustível nuclear em usinas, se for muito refinado, se torna material para bombas nucleares.

(Reportagem de Parisa Hafezi)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDIRAURANIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.