Irã diz que enriquecimento de urânio é 'margem de segurança'

O Irã afirmou na terça-feira que oenriquecimento de urânio representava sua "margem de segurança"e que continuaria com essas atividades apesar de um novo pacotede incentivos oferecido por potências mundiais a fim deconvencê-lo a abandonar seu programa atômico. O principal diplomata da União Européia (UE), JavierSolana, apresentou ao governo iraniano, no sábado, um novopacote com benefícios econômicos e disse que o país islâmicodeveria parar de enriquecer urânio durante as negociações emtorno da implementação dos incentivos. As potências ocidentais temem que o Irã esteja tentandodesenvolver armas atômicas. O governo iraniano nega. "Dissemos por várias vezes que o enriquecimento de urâniorepresenta nossa margem de segurança e que temos o direito dedominar essa tecnologia. Nossos esforços prosseguirão", afirmouo vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, AlirezaSheikhattar, a repórteres, segundo a agência iraniana denotícias Irna. O pacote de incentivos elaborado pelos EUA, Rússia, China,Grã-Bretanha, França e Alemanha no mês passado e repassado porSolana é uma versão revisada de um pacote já rejeitado pelo Irãem 2006. Potências ocidentais alertaram que o país islâmico podesofrer novas sanções se rechaçar a oferta. O governo iraniano,porém, não deu sinais de que mudará de opinião e disse não terpressa em responder à proposta de incentivos, que estaria sendoavaliada. "Vamos dar-lhes nossa resposta o mais cedo possível. Masnão sabemos exatamente quando isso ocorrerá", afirmou umaautoridade iraniana. O pacote de incentivos oferece ao Irã a chance dedesenvolver um programa civil de energia nuclear com reatoresde água leve -- considerados mais difíceis de serem usados nafabricação de bombas atômicas -- e sem ter acesso direto àprodução de combustível para essas instalações. Também são oferecidos aos iranianos outros benefícios,entre os quais benefícios comerciais tais como a possibilidadede comprar aviões civis do Ocidente. Um conhecido grupo de pesquisa de Washington, o Institutopara a Ciência e a Segurança Internacional (Isis), disse que opacote continha dois acréscimos importantes. O Isis destacou um trecho do texto no qual se afirma que aspotências dariam "apoio" à continuação da pesquisa e dodesenvolvimento na área de energia nuclear "à medida que aconfiança (a respeito das intenções do Irã) for sendogradualmente retomada". Isso sugeria que a pesquisa e o desenvolvimentocontinuariam a ocorrer mesmo durante a suspensão doenriquecimento de urânio e indicaria um cronograma mais longopara resolver as questões centrais. O Isis afirmou ainda que a oferta incluía uma eventualgarantia na área de segurança, uma grande preocupação do Irã,ao citar a prontidão para "reafirmar as obrigações sob a Cartada ONU (Organização das Nações Unidas) para evitar o uso daforça contra a integridade territorial (do Irã)." (Mark Heinrich em Viena)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.