Irã diz que EUA 'devem ser educados' se quiserem diálogo

Ahmadinejad afirma que 'países que acusam devem aprender a falar corretamente' para serem ouvidos

Efe,

05 de fevereiro de 2009 | 16h58

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quinta-feira, 5, que "os governos que quiserem dialogar com o Irã devem ser educados se quiserem ser escutados", em clara alusão aos EUA, que o acusa de disfarçar um programa de armas nucleares e cujo presidente, Barack Obama, declarou querer abrir diálogo.  Veja também:Equipe de Obama tem contato com Irã desde antes da eleiçãoIrã está a apenas alguns anos de bomba, diz ministro inglês "Os iranianos são um povo lógico. Se alguém quiser falar de maneira lógica, que o faça. Escutaremos e daremos as boas-vindas a quem oferecer uma 'solução aos problemas mundiais'", disse Ahmadinejad. "Mas os países que acusam devem aprender a falar corretamente e a serem educados, porque assim o culto e amante da paz povo iraniano os escutará. Sua era acabou", disse, segundo a agência de notícias local Fars.  As declarações de Ahmadinejad se inscrevem no debate político iraniana sobre a possível abertura de diálogo com os EUA, país com o qual Irã não tem laços diplomáticos desde 1980, quando, após a vitória da Revolução Islâmica, iranianos invadiram a Embaixada dos EUA e mantiveram 52 americanos como reféns, por 444 dias.  Enquanto reformistas e conservadores moderados apostam em abrir essa via, os mais conservadores resistem a qualquer mudança.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.