Irã diz que matou 30 rebeldes curdos em novo ataque na fronteira

O Irã disse que soldados do país mataram ou feriram 30 rebeldes curdos em um novo ataque à fronteira montanhosa com o Iraque, onde testemunhas relataram que houve combates e bombardeios intensos neste sábado.

REUTERS

03 Setembro 2011 | 16h06

Um comandante da Guarda Revolucionária do Irã disse que a ação militar começou depois que os rebeldes receberam um mês de "prazo", durante o Ramadã, para que se retirassem da área de onde vinham fazendo emboscadas e sabotando gasodutos.

"Os soldados da Guarda Revolucionária mataram ou feriram 30 membros do grupo terrorista PJAK (Partido da Vida Livre do Curdistão), de sexta-feira a tarde até agora", disse o coronel Hamid Ahmadi à agência de notícias oficial iraniana Irna.

O PJAK é uma ramificação do grupo PKK, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, com base na Turquia, que foi bombardeado por ataques aéreos turcos nas últimas semanas.

Um bombardeio turco matou diversos civis no mês passado e, no sábado, soldados iranianos atiraram e mataram um pastor curdo, fora da cidade fronteiriça Haj Umran, de acordo com o prefeito da cidade, Maghdid Ahmed.

Mais conteúdo sobre:
IRA CURDOS MORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.