Irã diz que obterá urânio mesmo sem acordo com potências

Segundo porta-voz, material é necessário para funcionamento de reator que produz medicamentos

Efe

10 de outubro de 2009 | 12h24

O Irã vai obter urânio enriquecido por seus próprios meios caso não chegue a um acordo com as potências internacionais, anunciou o porta-voz do Organismo Iraniano de Energia Atômica (OIEA), Ali Shirzadian, neste sábado, 10.

 

Em resposta a um jornalista da agência de notícias Isna, o funcionário disse que Teerã daria informações do projeto à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) se as negociações com Estados Unidos, França, Alemanha, Rússia, China e Reino Unido e Alemanha fracassarem.

 

"Escreveríamos uma carta à agência (da ONU) na qual faria informaríamos que o Irã, de forma independente, tentará alimentar com combustível o reator de Teerã", afirmou.

 

Shirzadian destacou que essa é "uma proposta viável e por isso está previsto que os diferentes caminhos possíveis sejam estudados durante as (próximas) negociações".

 

"O reator de Teerã precisa de 150 a 300 quilos deste combustível para seu funcionamento. Este reator é a principal fonte do país para conseguir certo tipo de medicamentos", explicou.

 

Shirzadian lembrou ainda que, há 16 anos, o Irã comprou combustível da Argentina para o mesmo reator.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãurânio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.