Irã diz que oferecerá pacote nuclear ao Ocidente

Ahmadinejad diz que proposta vai assegurar paz e justiça ao mundo, pois respeita o direito de todas as nações

Reuters e Associated Press,

15 de abril de 2009 | 07h40

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quarta-feira,15, que o país preparou um pacote para solucionar o impasse com as potências mundiais em torno de seu programa nuclear. "Nós preparamos um pacote que pode ser a base para solucionar o problema nuclear do Irã. Ele será oferecido ao Ocidente em breve", disse Ahmadinejad em um pronunciamento televisionado na província sulista de Kerman.

 

Veja também:

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especial Especial: O programa nuclear do Irã

 

Em resposta, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA Robert Wood afirmou que Washington estudará qualquer proposta que o Irã apresentar. "Se eles sugerirem um novo pacote sobre o seu programa nuclear, nós analisaremos e veremos o que é", afirmou. "Nossa esperança é que ele atenda todas as preocupações dos EUA e de outros países sobre as atividades nucleares do Irã".

 

Estados Unidos, Rússia, China, França, Alemanha e Reino Unido disseram na semana passada que pediriam ao chefe de política externa da União Europeia, Javier Solana, que convidasse o Irã para um encontro a fim de encontrar "uma solução diplomática para esse tema crítico". O gesto marcou uma importante mudança na política dos EUA sob o novo presidente Barack Obama, cujo antecessor George W. Bush evitou conversas com os iranianos enquanto o país continuasse com sua atividade nuclear, que o Ocidente teme ser destinada à produção de armas atômicas.

O Irã saudou na segunda-feira um diálogo "construtivo" com as seis potências mundiais, no mais claro sinal de que Teerã aceitaria o convite para conversar sobre seu programa nuclear. Ahmadinejad não detalhou o novo pacote, mas disse que o mundo não poderia ser governado "usando a força". "Este novo pacote assegurará paz e justiça ao mundo. Ele respeita o direito de todas as nações", disse ele. O Irã, quarto maior produtor de petróleo do mundo, diz que seu programa nuclear é destinado à produção de energia elétrica. O país tem repetidamente descartado abandoná-lo.

 

Ahmadinejad fez os comentários um dia depois da administração Obama afirmar que seu objetivo imediato é trazer o Irã de volta para a mesa de negociações. Ainda que o governo americano tenha se recusado a falar publicamente sobre suas novas estratégias para lidar com a questão nuclear do Irã, altos oficiais disseram que Washington deixou de exigir que Teerã feche rapidamente suas instalações nucleares e pode permitir que o país continue enriquecendo urânio por um período determinado durante as primeiras fases das negociações sobre seu programa atômico. A medida representa uma ruptura em relação à estratégia adotada pelo governo George W. Bush, que colocava o bloqueio do programa como precondição ao diálogo.

 

"A nação iraniana é uma nação generosa. Pode esquecer o passado e começar uma nova era, mas qualquer país que falar nas bases do egoísmo terá a mesma resposta que a nação deu ao senhor Bush", afirmou Ahmadinejad. Segundo o presidente, "as circunstâncias mudaram" - em aparente referência a Obama e aos progressos nucleares do programa iraniano desde as negociações com a comunidade internacional.

 

(Com The New York Times)

 

Matéria atualizada às 13h25.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.