Irã diz que vai alterar reator para reduzir capacidade de produção de plutônio

O Irã está "ocupado redesenhando" um reator de pesquisa para reduzir drasticamente sua produção de plutônio - um potencial combustível para bombas nucleares -, disse uma autoridade iraniana, em comentários que parecem responder a importantes questionamentos levantados nas negociações com as potências mundiais.

MICHELLE MOGHTADER E FREDRIK DAHL, REUTERS

12 de junho de 2014 | 10h28

O futuro da planta de Arak está entre as várias questões que os negociadores do Irã e seis potências mundiais precisam resolver para chegar a um acordo, até o final de julho, para a redução do programa nuclear iraniano em troca do fim das sanções que lhe foram impostas.

Países ocidentais temem que assim que estiver em operação, Arak poderá fornecer suprimento de plutônio, produto que juntamente com o urânio enriquecido pode desencadear uma explosão nuclear.

O Irã diz que o reator de Arak, de 40 megawatts, se destina a produzir isótopos para tratamento de câncer e de outras doenças. O país concordou em suspender o trabalho de instalação em Arak como parte de um acordo de seis meses firmado em novembro passado com as potências mundiais, estabelecido provisoriamente enquanto se negocia um compromisso mais abrangente.

Após a última rodada de negociações em Viena, em maio, um diplomata de uma das potências disse que o Irã parecia ter recuado em sua predisposição anterior de aplacar os temores ocidentais sobre o potencial de Arak para a produção de armas nucleares. O Irã definiu tais procupações como "ridículas".

Mas o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, pareceu enviar um sinal mais conciliador em comentários divulgados pela agência oficial de notícias iraniana, a Irna, na noite de quarta-feira.

A quantidade de plutônio que o reator será capaz de produzir será reduzida para menos de um 1 quilo anualmente ante planejamento inicial de 9 a 10 quilos, disse ele. Especialistas ocidentais dizem que 9 a 10 quilos seriam suficientes para a produção de uma ou duas bombas nucleares e que a capacidade de Arak teria de ser reduzida.

"Estamos atualmente ocupados redesenhando esse reator para possibilitar essa alteração", disse Salehi, segundo a Irna.

(Reportagem adicional de Vladimir Soldatkin em Moscou; Reportagem de Fredrik Dahl)

Mais conteúdo sobre:
IRANUCLEARREATOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.