Irã e Equador prometem intensificar relação e abrir embaixadas

Os presidentes do Irã e do Equador prometeram expandir suas relações neste sábado, no mais último sinal de aproximação entre os dois países que tem irritado Washington. O Equador tem buscado financiamento de nações amigas como Irã e Venezuela à medida que os preços cadentes do petróleo prejudicam suas receitas, mas o presidente Rafael Correa não fez menção a isso após conversas com o iraniano Mahmoud Ahmadinejad em Teerã. Correa, que chegou à capital iraniana na sexta-feira para uma visita oficial que deve terminar na terça-feira, disse que os dois membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) abrirão embaixadas nas respectivas capitais em janeiro, informou a agência de notícias iraniana ISNA. "O governo equatoriano está determinado a expandir e aprofundar laços com o Irã, disse o esquerdista Correa. Correa já ameaçou não pagar uma dívida externa em títulos avaliada em cerca de 3,8 bilhões de dólares, dizendo que os bônus foram lançados ilegalmente pela administração anterior Uma suspensão do pagamento da dívida pode obstruir o acesso do governo e de empresas equatorianas a crédito, dizem analistas. O Irã é o quarto maior produtor mundial de petróleo e também enfrenta queda em suas exportações depois que os preços do combustível despencaram. Ahmadinejad, que frequentemente rebela-se contra o Ocidente, disse após o encontro com Correa que os dois países estão dispostos a expandir relações em todos os campos. "Nós tivemos negociações muito boas em muitos campos com o presidente equatoriano. Conversamos sobre petróleo, agricultura, indústria e comércio", afirmou Ahmadinejad. Equador e Irã assinaram um acordo de cooperação energética em setembro, incluindo um plano para a construção de uma refinaria e uma unidade petroquímica no país sul-africano. Autoridades dos Estados Unidos já manifestaram preocupação com os laços do Irã com países sul-americanos como a Venezuela em um momento em que Washington tenta isolar Teerã na disputa nuclear. Os Estados Unidos acusam o Irã de tentar construir bombas nucleares, o que Teerã nega, insistindo que o país precisa das plantas nucleares para exportar mais petróleo e gás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.