Irã e potências mundiais discutem acordo na semana que vem

O Irã e seis potências mundiais planejam uma reunião entre especialistas na próxima semana para discutir os detalhes da implementação do acordo para que o Irã reduza suas atividades nucleares em troca de um alívio limitado nas sanções contra o país.

Reuters

06 de dezembro de 2013 | 15h38

Representantes do Irã, dos Estados Unidos, da França, da Alemanha, China, Reino Unido e Rússia têm reunião marcada para os dias 9 e 10 dezembro, em Viena, onde fica a sede da agência de inspeção nuclear das Nações Unidas, a AIEA, afirmaram diplomatas nesta sexta-feira.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que será encarregada de verificar o cumprimento do acordo provisório de 24 de novembro pelo Irã, terá "algum envolvimento" na reunião, disse Gill Tudor, porta-voz da agência, sem entrar em detalhes.

Diplomatas ocidentais afirmaram que os especialistas vão lidar com aspectos chave da implementação do plano não discutidos em Genebra.

Esses temas incluem como e quando a AIEA vai fazer as suas inspeções e outros detalhes técnicos.

O acordo é visto como um primeiro passo para resolver o conflito de uma década sobre o programa nuclear iraniano.

O pacto foi desenhado para evitar avanços nucleares iranianos por um semestre e assim obter mais tempo para as negociações sobre um acordo final.

Diplomatas afirmam que a implementação do plano pode começar em janeiro, depois que os detalhes técnicos forem resolvidos.

Analistas e diplomatas salientam que muitos obstáculos ainda têm que ser superados para uma solução a longo prazo, entre eles as divergências sobre o tamanho e a capacidade do projeto nuclear iraniano.

Pelo acordo do mês passado, o Irã vai interromper o enriquecimento de urânio a uma concentração que poderia levar à produção de armas nucleares e paralisar os trabalhos em um reator em Arak.

Nas negociações das semana que vem, os especialistas dos governos irão discutir que componentes, segundo o acordo, o Irã não poderá instalar na usina de Arak.

O Irã, grande produtor de petróleo, diz que o seu programa nuclear tem fins pacíficos.

(Reportagem de Justyna Pawlak e Fredrik Dahl)

Tudo o que sabemos sobre:
IRANUCLEARREUNIAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.