Irã envia navios de ajuda humanitária para Gaza

Atitude pode escalar tensões com Israel, que diz que navios não trazem ajuda, e sim armaentos para o Hamas

Efe

14 de junho de 2010 | 12h57

TEERÃ - O Irã está mandando navios com ajuda para Gaza, disse o rádio estatal nesta segunda-feira, 14 - um movimento que pode ser considerado uma provocação por Israel, que acusa Teerã de estar enviando armas para os chefes do enclave palestino islâmico, o Hamas.

 

Um navio deixou um porto no domingo e outro partirá até sexta-feira, carregado com comida, material de construção e brinquedos, disse o repórter. "Até o final do bloqueio de Gaza (pelos israelenses), o Irã continuará a enviar ajuda", disse um oficial da organização iraniana, Sociedade para Defesa da Nação Palestina.

 

O Irã enviou ajuda para o território da costa anteriormente via Egito. Não ficou exatamente claro se o último navio faria o mesmo, ou tentaria atracar em Gaza.

 

Em janeiro de 2009, um navio de guerra israelense se aproximou de um navio de ajuda iraniano que ia para território mediterrâneo e disse para deixar a área, a 70 km de Gaza. O navio foi para o Egito, que faz fronteira com Gaza, mas não obteve permissão para descarregar.

 

O Irã apresentou um protesto sobre a questão com o Egito, que tem um acordo de paz com o Estado judeu. Israel tem suspeitado por muito tempo que o Irã fornece armas ao Hamas. Teerã diz que apenas dá apoio moral ao grupo.

 

Sem escolta

 

O chefe-adjunto de elite da Guarda Revolucionária do Irã minimizou os relatórios que os guardas proporcionaria uma escolta militar para navios de ajuda indo para Gaza - algo que certamente tem o poder de escalar as tensões na região. "Isso não está na nossa agenda", Hossein Salami, citado pela agência oficial de notícias IRNA.

 

Um auxiliar do líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse na semana passada que o poderoso Exército iraniano estava pronto para escoltar as embarcações se a ordem fosse dada por Khamenei. Um funcionário do Crescente Vermelho iraniano afirmou ontem que dois navios com ajuda organizada pelo grupo humanitário estavam prontos e esperando a aprovação do Ministério de Relações Exteriores para partir para Gaza.

 

A decisão de enviar mais ajuda foi tomada depois que o ataque militar israelense contra uma flotilha com ajuda que se dirigia a Gaza resultou na morte de nove ativistas no último dia 31. As animosidades entre o Irã e seu inimigo Israel pioraram após a chegada de Mahmoud Ahmadinejad à presidência. Altos comandantes afirmam que Teerã tem mísseis capazes de atingir qualquer alvo no Estado judeu.

 

Por sua vez, Israel, que tem o único arsenal não declarado do Oriente Médio, não descartou a possibilidade de ações militares contra o Irã a fim de evitar que o país venha a desenvolver capacidade de fabricar armas nucleares. O Irã nega que tenha esse tipo de ambição. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.