Irã escapa de novas sanções da ONU

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou de forma unânime, neste sábado, uma resolução que novamente ordena o Irã a interromper seu programa nuclear, mas não impôs as novas sanções defendidas pelos Estados Unidos e seus aliados. O texto foi acertado na sexta-feira por cinco membros permanentes do Conselho de Segurança -- Reino Unido, China, França, Rússia e Estados Unidos -- e a Alemanha, durante a Assembléia-Geral da ONU, e depois circulado para todo o conselho. A resolução de 18 linhas determina que o Irã "obedeça completamente e sem atrasos" às determinações anteriores do Conselho, que pedem a interrupção do enriquecimento de urânio, mas também "reafirma seu compromisso para uma solução negociada em breve para a questão nuclear iraniana". O documento também solicita que o Irã corresponda às solicitações da Agência Internacional de Energia Atômica da ONU, em Viena, que está investigando se o Irã conduziu ou não pesquisas de armas nucleares. A agência informou no início do mês que o Irã não estava cooperando, mas Teerã disse que estava. O Irã, que insiste que seu programa nuclear é inteiramente pacífico e será totalmente utilizado para gerar energia, não recebeu bem a nova resolução. "Essas resoluções não são construtivas", disse o chefe para negociação nuclear do Irã, Saeed Jalili, à televisão iraniana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.