Irã estuda construir mais usinas de enriquecimento de urânio

Início de construção de novo complexo deve ocorrer em março de 2011

Efe

16 de agosto de 2010 | 08h00

TEERÃ - O diretor do Organismo da Energia Atômica do Irã (OEAI), Ali Akbar Salehi, anunciou que seu país iniciará a construção de outra usina de enriquecimento de urânio em março de 2011, segundo informou nesta segunda-feira, 16, em seu site a televisão estatal iraniana.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

"Os estudos para a localização de outras dez instalações para o enriquecimento de urânio terminaram", acrescentou Salehi, reiterando a disposição de seu país de manter conversas com o da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para resolver a questão sobre seu programa nuclear, que sofreu em junho o quarto pacote de sanções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

No entanto, Salehi especificou que seu governo ainda não recebeu nenhuma proposta formal de reunião de outros países, apesar dos "anúncios nos meios de comunicação". Os países que negociam com o Irã sobre o enriquecimento de urânio são os membros permanentes do Conselho de Segurança - EUA, Rússia, França, Reino Unido e China - e a Alemanha.

 

As potências ocidentais acusam o Irã de esconder, sob seu programa nuclear civil, outro de natureza clandestina e aplicações bélicas, cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas. Teerã nega tais alegações.

 

As tensões sobre o programa nuclear iraniano se acirrou no final do ano passado uma vez que o Irã colocou impedimentos a uma proposta de troca de urânio feita por EUA, Rússia e Reino Unido e meses depois começou a enriquecer urânio a 20% por seus próprios meios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.