Irã fecha cafés e restaurantes em nova repressão moral em Teerã

A polícia iraniana fechou dezenas de restaurantes e cafeterias no fim de semana, informou a mídia local, em uma nova repressão contra o que o Estado vê como imoral e de comportamento anti-islâmico.

Reuters

15 de julho de 2012 | 15h52

Agentes regulares e membros da "polícia moral" invadiram 87 cafés e restaurantes em um único distrito da capital Teerã no sábado e detiveram mulheres por desrespeitar o código de vestimenta islâmico, de acordo com a agência de notícias estudantil Isna.

"Esses lugares foram fechados por não seguirem os valores islâmicos, dando narguilé às mulheres, e pela falta de licenças apropriadas", disse o oficial da polícia de Teerã, Alireza Mehrabi, de acordo com a Isna. Mulheres não têm autorização para usar narguilés em público.

Mehrabi disse que a ação continuará em outras partes de Teerã.

A cultura de ir a cafés floresceu no Irã nos últimos anos, com estabelecimentos oferecendo Internet sem fio, refeições leves, bebidas quentes e um lugar para a juventude iraniana sair em um país onde não há bares ou restaurantes de cadeias ocidentais ou cafés.

Mas essa tendência tem sido criticada pelos iranianos conservadores que consideram uma imposição cultural dos valores ocidentais e incompatível com os islâmicos. O governo periodicamente reprime comportamentos que considera não-islâmicos.

Em 2007, a polícia de Teerã fechou 24 Internet-cafés e outras cafeterias em várias horas, detendo 23 pessoas.

(Reportagem de Yeganeh Torbati)

Mais conteúdo sobre:
IRACAFEMORAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.