Irã inicia exercícios militares no Estreito de Ormuz

O Irã começou 10 dias de exercícios navais no Estreito de Ormuz neste sábado, aumentando a preocupação sobre um possível fechamento do canal de transporte de óleo mais importante do mundo, caso ocorra um conflito militar entre Teerã e o Ocidente.

REUTERS

24 de dezembro de 2011 | 10h36

O exercício militar, chamado de "Velayat-e 90", acontece enquanto a tensão entre o Ocidente e Irã vem aumentando, devido ao programa nuclear do país islâmico.

Alguns analistas e diplomatas acreditam que a República Islâmica poderá tentar bloquear o Estreito caso entre em guerra com o Ocidente devido à suspeitas de que o país esteja fabricando a bomba atômica.

Os arqui-inimigos do Irã, Israel e EUA não descartam uma ação militar, caso a diplomacia e as sanções contra o país não consigam deter a atividade nuclear do Irã.

O Irã diz que quer a energia nuclear apenas para fins pacíficos.

"O Irã certamente tem poder militar para executar a decisão de fechar o Estreito de Ormuz, mas essa decisão deve ser tomada pelas principais autoridades do país," teria dito Habibollah Sayyari, comandante da Marinha iraniana, de acordo com a agência de notícias trabalhista semioficial do país, a ILNA.

O Irã já disse antes que responderia a qualquer ataque tendo como alvo os interesses dos EUA na região e Israel, além de fechar o Estreito, o único canal de acesso para os mercados estrangeiros de oito países árabes do Golfo - parceiros dos EUA.

Autoridades iranianas não deram nenhuma indicação de que o Estreito será fechado durante o exercício e até agora, ele não foi fechado durante exercícios anteriores.

"Os principais objetivos desse exercício são: exibir o poder defensivo e dissuasivo do Irã, e, ao mesmo tempo, enviar uma mensagem de paz e amizade no Estreito de Ormuz e nas águas livres," disse Sayyari.

"Ele também mostrará o poder do país de controlar a região, além de testar mísseis, torpedos e armas."

"Velayat" é uma palavra em persa que significa "supremacia" e é usada atualmente como um título de deferência para o Líder Supremo Ayatollah Ali Khamenei.

EUA, Grã Bretanha e Canadá anunciaram novas medidas contra os setores de energia e financeiros do Irã no mês passado e a União Européia está estudando uma proibição às importações de petróleo iraniano, que já está em vigor nos EUA.

(Reportagem de Ramin Mostafavi)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAMILITARESORMUZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.