Irã insiste em escolha para enviado da ONU e critica EUA

O Irã criticou neste sábado a decisão dos Estados Unidos de negar visto a seu indicado como novo enviado às Nações Unidas, dizendo que levaria o caso diretamente ao órgão global.

Reuters

12 de abril de 2014 | 09h49

"Não temos um substituto para Abutalebi e vamos acompanhar a questão via mecanismos legais nas Nações Unidas", disse Abbas Araghchi, funcionário do Ministério das Relações Exteriores iraniano, citado pela agência de notícias Irna.

Os EUA disseram na sexta-feira que não dariam visto para Hamid Abutalebi, citando as ligações do enviado com a crise de reféns do Irã entre 1979 e 1981.

Washington apontou as suspeitas de que Abutalebi tenha feito parte do grupo de estudantes muçulmanos que sequestrou o embaixador norte-americano em Teerã em novembro de 1979 e manteve outros 52 norte-americanos como reféns por 444 dias.

O diplomata já afirmou anteriormente que atuou como intérprete para os militantes.

O presidente norte-americano, Barack Obama, está sob forte pressão doméstica para não permitir que Abutalebi entre no país para assumir seu cargo em Nova York, levantando preocupações de que a disputa possa interromper as frágeis negociações entre Teerã e as seis principais potências do mundo, incluindo Washington, sobre seu programa nuclear.

(Por Mehrdad Belali)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAEUAONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.