Reuters
Reuters

Irã liberta cinco dos oito funcionários de embaixada britânica

Empregados foram detidos por suposto envolvimento nos protestos contra a reeleição de Ahmadinejad

29 de junho de 2009 | 06h03

A polícia iraniana colocou em liberdade cinco dos oito funcionários locais da embaixada britânica em Teerã detidos no domingo, confirmou nesta segunda-feira o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Hassan Qashqavi. Os empregados da delegação tinham sido detidos por seu suposto envolvimento nos protestos que sacudiram o país após a polêmica reeleição do presidente, Mahmoud Ahmadinejad.

 

O governo iraniano nega que os distúrbios sejam motivados pelo descontentamento interno. Para Teerã, EUA e países europeus - sobretudo o Reino Unido - estão por trás da onda de protestos que assola o país persa há mais de duas semanas.

 

"Três das oito pessoas detidas estão sendo interrogadas ainda", afirmou em entrevista coletiva. A libertação de vários dos detidos já tinha sido adiantada na noite de domingo pelo ministro de Inteligência, Gholam Hussein Mohseni Ejei, que disse que "os empregados foram enviados pela própria delegação britânica às manifestações para recopilar informação e inculcar certas ideias nos manifestantes e na sociedade".

 

Veja também:

Conselho inicia recontagem parcial de votos no Irã

video TV Estadão: Editor do 'Estado' Eduardo Barella fala sobre a crise

som Podcast: Enviado do "Estado" no Irã comenta dificuldades da imprensa

som Podcast: Pedro Dória explica como manifestantes driblam censura no Irã

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especialEspecial: Conflito eleitoral divide o Irã

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

lista Tudo o que foi publicado sobre a crise eleitoral no Irã 

 

 

"A embaixada britânica desempenhou um papel crucial nos recentes distúrbios através dos meios de comunicação, mas também de seu elenco", afirmou o ministro, citado pela agência de notícias estatal Irna. "Temos fotos e vídeos de certos funcionários da embaixada britânica nas manifestações", acrescentou Ejei.

 

Texto atualizado às 8h40.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãeleiçõesReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.