Irã não participará de conversações de paz sobre Síria, dizem EUA

O Irã não participará das conversações de paz sobre a guerra civil da Síria que serão realizadas neste mês na Suíça, disseram altos funcionários do Departamento de Estado dos Estados Unidos nesta sexta-feira.

Reuters

10 de janeiro de 2014 | 20h54

As autoridades, falando sob a condição de anonimato, disseram que a menos que ocorra uma mudança dramática na posição do governo iraniano, o país não participará formalmente das conversações de 22 de janeiro nem tomará parte informalmente, à margem do encontro.

"Isso é certo, eles não virão", afirmou um dos funcionários, falando sob a condição do anonimato.

No domingo, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse que poderia haver meios para que o Irã, que apoia o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, pudesse "contribuir à margem" da chamada conferência de paz Genebra 2, que será realizada em Montreux, na Suíça.

No dia seguinte, o Irã pareceu rejeitar a oferta.

A conferência de paz tem como objetivo dar continuidade ao acordo internacional sobre a Síria firmado em 2012, o qual pedia a criação de um governo de transição no país, mergulhado na guerra civil há quase três anos.

Enquanto o enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Síria, Lakhdar Brahimi, apoia um papel para o Irã na conferência Genebra 2, Kerry declarou que o país não poderia participar formalmente porque não aceita o acordo de 2012.

Autoridades dos EUA disseram que o Irã poderia melhorar suas chances de desempenhar um papel paralelamente às conversações se trabalhasse com o governo sírio para deter os bombardeios de civis e melhorar o acesso da ajuda humanitária à Síria.

O funcionário do Departamento de Estado disse ser possível que o Irã possa mudar sua posição e tomar parte de alguma maneira da conferência Genebra 2, "mas não vemos nenhuma evidência disso".

As autoridades falaram antes da visita de Kerry neste fim de semana a Paris, onde diplomatas vão fazer um apelo à fragmentada oposição síria para que se una antes das conversações de paz.

Na segunda-feira, funcionários norte-americanos haviam dito que a questão de alguma forma de participação do Irã seria discutida no encontro em Paris.

(Reportagem de Warren Strobel, com reportagem adicional de Arshad Mohammed)

Tudo o que sabemos sobre:
IRASIRIACONFERENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.