Irã para EUA:'Se vocês mudarem, nosso comportamento mudará'

O líder máximo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, afirmou neste sábado que a oferta do presidente norte-americano Barack Obama de melhorar as relações com o país é apenas um "slogan". O líder iraniano, no entanto, se comprometeu a responder a qualquer mudança na política real levada adiante por Washington.

ZAHRA HOSSEINIAN E FREDRIK DAHL, REUTERS

21 de março de 2009 | 10h54

Se pronunciando um dia após a divulgação da mensagem em vídeo de Obama, Khamenei --a figura mais poderosa do Irã e que detém a palavra final em questões de Estado-- disse que ainda não vê mudança por parte do Estado Unidos.

Mas acrescentou: "Se vocês mudarem, nosso comportamento irá mudar."

Criticando as ações norte-americanas em relação ao Irã desde a Revolução Islâmica de 1979, ele afirmou que os Estados Unidos são "odiados no mundo" e que devem parar de interferir no assuntos internos dos outros países.

"Eles dão o slogan de mudança, mas na prática nenhuma mudança é vista... Nós não vimos nenhuma mudança", disse Khamenei.

Irã e Estados Unidos não mantém relações diplomáticas por três décadas e agora estão envolvidos em uma disputa a respeito do programa nuclear iraniano, que o Ocidente suspeita ser direcionado à construção de bombas. A República Islâmica nega a acusação.

Na sexta-feira, o presidente do EUA ofereceu um "novo começo" das relações diplomáticas entre os dois antigos inimigos.

Khamenei disse que uma mudança nas "palavras" norte-americanas não é suficiente e que Obama teria "insultado" o Irã e o seu governo imediatamente após tomar posse. Ele, porém, não elaborou melhor esta última afirmação.

Em sua mensagem em vídeo, divulgada no Ano Novo iraniano, Obama disse: "Os Estados Unidos querem que a República Islâmica do Irã tome o seu lugar de direito na comunidade das Nações."

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDIRAEUAKHAMENEI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.