Irã pede ao Conselho da ONU que fique fora de disputa nuclear

O Irã pediu na sexta-feira aoConselho de Segurança da ONU que não interfira na disputainternacional relativa ao seu programa nuclear e que suspendasua "consideração ilegal" sobre o tema. Em carta ao Conselho, o chanceler iraniano ManouchehrMottaki reiterou o caráter pacífico do programa nucleariraniano e disse que há plena cooperação de seu país com aAgência Internacional de Energia Atômica (AIEA) órgão ligado àONU. "O terreno necessário foi pavimentado para que a questãoseja tratada unicamente pela AIEA, livre de qualquerinterferência de instituições políticas e de segurança",escreveu Mottaki. "Cabe ao Conselho de Segurança centrar sua atenção sobresuas responsabilidades principais e fundamentais, e colocar umfim à consideração ilegal que dá à questão nuclear do Irã",disse a carta. "Neste contexto, o Conselho deve permitir que a Agênciadesempenhe seus deveres numa atmosfera de calma, livre detensões e motivações políticas." A União Européia se disse na sexta-feira frustrada com asconversas mantidas em Londres com o Irã sobre a questãonuclear. Os Estados Unidos e outras potências ocidentais defendemuma terceira rodada de sanções contra o Irã, acusando o país detentar desenvolver armas nucleares. China e Rússia, que têmpoder de veto no Conselho, preferem mais negociações. (Por Claudia Parsons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.