Irã pede ao México apoio para seu programa nuclear

Governo iraniano tenta evitar que Conselho de Segurança da ONU o puna por negar-se a suspender programa

Efe,

26 de fevereiro de 2008 | 02h47

O Governo do Irã pediu nesta segunda-feira, 25, ao México seu apoio nos fóruns internacionais para evitar que o Conselho de Segurança da ONU o puna por negar-se a suspender seu programa de energia nuclear. "O povo iraniano não renunciará a seus legítimos direitos para o enriquecimento de urânio e o uso da energia nuclear, nem aceitará a discriminação", disse em entrevista coletiva o embaixador iraniano no México, Mohammad Hassan Ghadiri. Hassan Ghadiri disse que recorreu à Chancelaria mexicana para entregar uma nota diplomática na qual seu Governo pede que o país latino-americano "utilize sua presença e sua influência em todos os organismos internacionais para defender energicamente os direitos dos povos do mundo, como o Irã". O diplomata negou que seu país conte com um programa para a construção de armas nucleares, e se disse "confiante" de que o México utilizará seu prestígio para fazer com que alguns países como Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido desistam de suas ameaças e pressões políticas contra o Irã. Na quinta-feira passada, França, Reino Unido e Alemanha apresentaram perante o Conselho de Segurança da ONU uma minuta de resolução que pede a imposição de novas sanções contra o Irã, por sua rejeição a suspender suas atividades nucleares. "O Irã não busca tensões nem guerra, mas se outros países o buscam, não teremos nenhum remédio", afirmou o diplomata no México. Os membros permanentes do principal órgão da ONU - Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e China - além da Alemanha, acusam o Irã de usar seu programa nuclear civil para encobrir o desenvolvimento de armas atômicas, o que foi rejeitado reiteradamente pelo Governo de Teerã. Nos últimos dois anos, o Conselho de Segurança aprovou duas resoluções - em dezembro de 2006 e em março de 2007 - para obrigar o Irã a interromper suas atividades de enriquecimento de urânio e abandonar seu programa nuclear.

Mais conteúdo sobre:
IrãMéxicoprograma nuclearONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.