Irã pede boicote de muçulmanos a 'conferência da paz'

Reunião internacional irá discutir a criação do Estado palestino ao lado de Israel

Parisa Hafezi, da Reuters,

13 de outubro de 2007 | 11h15

O principal clérigo do Irã pediu aos países muçulmanos neste sábado, 13, que boicotem uma conferência de paz internacional patrocinada pelos Estados Unidos a respeito da criação do Estado palestino no mês que vem. A oposição a Israel é um dos pilares da crença do Irã, que apóia grupos militantes islâmicos palestinos e libaneses que descartam a paz com o Estado judeu. "Quando os palestinos consideram essa conferência como enganosa e se recusam a participar, como podem os países muçulmanos participar disso?, disse o aiatolá Ali Khamenei em um sermão transmitido pela mídia estatal. "Outros países (muçulmanos) também devem considerá-la como uma conferência enganosa." Os EUA estão otimistas de que palestinos e israelenses vão acertar um documento conjunto sobre questões difíceis que os separam antes da conferência, marcada para novembro. Washington tem apoiado a idéia de uma pequena troca territorial entre Israel e um futuro Estado palestino de forma que os árabes sejam compensados pelos blocos de assentamentos judeus que seguiriam sob controle de Israel no caso de qualquer acordo de paz.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãPalestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.