Irã pede compensação por 'sanções ilegais' da ONU

Premiê iraquiano diz que país não implementará resoluções impostas pela ONU em seu programa nuclear

Associated Press,

26 de março de 2008 | 18h18

O Ministro de Exterior do Irã, Manouchehr Mottaki, revelou nesta quarta-feira, 24, que o governo iraquiano planeja uma ação legal buscando compensações "pelas sanções ilegais das Nações Unidas". Mottaki afirmou que o país não irá implementar as três resoluções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) porque o Conselho de Segurança excedeu sua autoridade.   Seus comentários aparecem numa carta de 20 páginas destinada a oficiais da ONU. O Conselho impôs sanções ao Irã em dezembro de 2006, e vem aumentado gradativamente as limitações, esperando que o país suspenda seu programa de enriquecimento de urânio.   Os Estados Unidos, a União Européia (UE) e outros países suspeitam que o Irã produz armas nucleares, mas o país insiste que seu programa tem fins pacíficos e desafiou a ONU ao continuar o enriquecimento diante das restrições.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãONUprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.