Irã pede que inspetores avaliem capacidade nuclear de Israel

Israelenses retrucam acusando Teerã de mentir; discussão aconteceu durante reunião da AIEA na Áustria

Agência Estado e Associated Press,

21 de setembro de 2007 | 16h19

Em um raro confronto direto, o Irã desafiou nesta sexta-feira, 21, a comunidade internacional a enviar inspetores para determinar a real capacidade nuclear de Israel. Tel-Aviv acusou Teerã de mentir.A dura troca de acusações ocorreu durante uma reunião entre representantes de 148 países na sede da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena, Áustria.A discussão começou quando o chefe da delegação iraniana na AIEA, Ail Asghar Soltaniyeh - assim como delegados de países árabes fizeram antes dele - comentou que o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, teria reconhecido no início do ano que seu país possuía armas nucleares.Soltanieh também criticou "o persistente silêncio dos Estados Unidos" sobre o assunto, "da mesma forma como continuam silenciosos quanto as atrocidades, agressões, derramamento de sangue e violações de mais de 30 resoluções das Nações Unidas" por parte do Estado judeu. Aquilo, para ele, "é um aspecto vergonhoso e obscuro da história das Nações Unidas, da AIEA e do atual século como um todo".Em resposta, o delegado israelense Israel Michaeli disse que "alguns oradores anteriores continuam mentindo" com relação à suposta admissão de Olmert. O governo israelense nega que o primeiro-ministro tenha admitido a posse de armas nucleares."Aqueles que pregam a eliminação de Israel não têm o direito de criticar as políticas israelenses de defesa de sua própria existência", argumentou.Soltanieh então desafiou a AIEA a enviar inspetores a Israel "para verificar quem está dizendo a verdade".Funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) disseram não se lembrar de nenhuma outra ocasião na qual representantes dos dois governos tenham dirigido a palavra um ao outro e observaram que o tom duro dos comentários reflete em parte a tensão no Oriente Médio.As acusações iranianas e árabes também parecem refletir a frustração pelo fato de os esforços para aprovar uma resolução sobre "A Capacidade Nuclear de Israel e Suas Ameaças" ter sido bloqueada pelos Estados Unidos, pela União Européia (UE) e por outros governos ocidentais.O governo israelense costuma dar respostas vagas quando interpelado sobre seu programa nuclear bélico, sem confirmar nem negar as acusações. Mas especialistas no assunto calculam que Israel disponha de aproximadamente 200 ogivas.O Irã, por sua vez, é acusado pelos Estados Unidos e por outras potências ocidentais de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. Teerã nega a acusação e assegura que suas usinas atômicas tenham fins estritamente pacíficos de produção de energia elétrica.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãIsraelPrograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.