Irã planeja construir mais reatores nucleares em área de terremotos

O Irã planeja construir mais reatores nucleares em uma área litorânea propensa a terremotos, disse a imprensa iraniana nesta quarta-feira, um dia depois de um forte tremor numa região próxima à única usina desse tipo que o país possui atualmente.

YEGANEH TORBATI, Reuters

10 de abril de 2013 | 09h24

O terremoto de terça-feira, com magnitude 6,3, teve seu epicentro 89 quilômetros a sudeste da cidade portuária de Bushehr, matando 37 pessoas (incluindo 8 crianças menores de 10 anos) e ferindo mais de 900. Várias aldeias foram destruídas.

Mas a usina nuclear, que fica 18 quilômetros ao sul de Bushehr, não foi afetada, segundo autoridades iranianas e a empresa russa que a construiu.

Teerã insiste que a usina de Bushehr é segura, apesar de estar numa área de forte atividade sísmica. Ela foi inaugurada em 2011, após décadas de adiamentos.

Horas depois do terremoto, o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã disse que novos reatores devem ser construídos no local.

"Este terremoto não teve impacto sobre as instalações da usina nuclear de Bushehr", disse Fereydoun Abbasi-Davani na noite de terça-feira à TV pública, em declarações que foram reproduzidas nesta quarta pela agência semiestatal de notícias Mehr.

Ele explicou que, no momento do sismo, a usina de Bushehr não estava gerando energia, mas que, mesmo quando operacional, ela "foi projetada para resistir a terremotos de mais de 8,0 na escala Richter".

O terreno da usina poderia abrigar até seis reatores nucleares, e Abbasi-Davani disse que a construção de mais duas unidades com capacidade para pelo menos mil megawatts vai começar no "futuro próximo".

O Irã já identificou outros 16 lugares no país adequados para a construção de usinas atômicas.

O país fica sobre várias falhas tectônicas importantes, e já sofreu terremotos devastadores, como o de magnitude 6,6 que matou mais de 25 mil pessoas em 2003 na cidade de Bam (sudeste). Em agosto passado, dois tremores no noroeste iraniano deixaram mais de 300 mortos.

Relatório publicado na semana passada pelas entidades Fundo Carnegie e Federação de Cientistas Americanos disseram que o reator de Bushehr fica na intersecção de três placas tectônicas, e que os alertas sobre os terremotos ali "caíram em ouvidos moucos".

(Reportagem adicional de Fredrik Dahl, em Viena; Daniel Fineren, em Dubai; Naomi O'Leary, em Roma; e Stephanie Nebehay, em Genebra)

Tudo o que sabemos sobre:
IRATERREMOTOSREATORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.