Irã precisa de 10 a 15 usinas nucleares, diz ministro

O Irã precisa de 10 a 15 usinas nucleares para gerar eletricidade, disse o ministro do Exterior do país neste sábado. Ele frisou a determinação de Teerã para seguir adiante com o programa que o Ocidente suspeita que é para produzir bombas atômicas.

RAISSA KASOLOWSKY, REUTERS

12 de dezembro de 2009 | 11h44

O ministro Manouchehr Mottaki, falando a uma conferência sobre segurança em Barein, também colocou em dúvida o acordo sobre combustível nuclear esboçado pelas Nações Unidas. O objetivo do acordo é reduzir a preocupação internacional com o programa atômico iraniano.

"Acho que poderíamos simplesmente abandonar tudo ou propor algo mais moderado, um meio termo... O Irã tem feito isso" declarou ele.

O Irã tem buscado mudar o acordo proposto, segundo o qual o país transferiria estoques de urânio enriquecido para o exterior e receberia em troca combustível para um reator destinado a pesquisas médicas. Teerã diz que pode produzir sozinho o combustível se não puder importá-lo.

A proposta das Nações Unidas tem como objetivo retirar do Irã reservas de urânio que poderiam, se mais enriquecidas, ser usadas na fabricação de armas.

O Irã afirma que seu programa nuclear tem como meta gerar eletricidade, para que o país possa exportar mais petróleo e gás.

"Precisamos de 10 a 15 usinas nucleares para gerar eletricidade," disse Mottaki. O Irã tem uma usina nuclear, em construção pela Rússia.

Na sexta-feira, os Estados Unidos afirmaram que esperam que a comunidade internacional adote novas sanções contra o Irã por conta do programa nuclear.

"Seria melhor não ter que passar por isso (sanções) de novo," disse o ministro iraniano.

Tudo o que sabemos sobre:
IRANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.