Irã prende grupo por explosão de mesquita e culpa o Ocidente

O Irã prendeu os membros de um grupo"terrorista ligado à Grã-Bretanha e aos Estados Unidos" esupostamente responsável pela explosão em uma mesquita nacidade de Shiraz, que matou 14 pessoas e feriu 200 no mêspassado, disse uma agência de notícias. Autoridades iranianas disseram anteriormente que o ataque,ocorrido em 12 de abril na mesquita de Shohada durante umsermão, foi causado por explosivos deixados na frente de umaexposição para comemorar a guerra Irã-Iraque (1980-1988). "A explosão... foi causada por uma bomba de um grupoterrorista ligado a países ocidentais, especialmente aGrã-Bretanha e a América", disse na quarta-feira o ministro daInteligência, Gholamhossein Mohseni-Ejei, segundo a agência denotícias Isna. Cinco ou seis pessoas foram presas, incluindo o principalacusado, que tentava fugir do país, disse Nohseni-Ejei. Foramencontradas armas em poder do grupo, que "pretendia fazerataques semelhantes em outros lugares", disse. "O grupo, que tem relações com países ocidentais, incluindoa Grã-Bretanha e a América, já fez outros atos terroristas nopaís nos últimos anos", disse ele. Teerã já acusou a Grã-Bretanha e os EUA de tentardesestabilizar a República Islâmica, ao apoiar rebeldes,principalmente nas conturbadas fronteiras do país. Mohseni-Ejei disse que o Irã tinha falado com paísesocidentais sobre o grupo, mas eles ignoraram seu apelo. "Eles(os membros do grupo) foram até apoiados", disse o ministro. Os comentários do ministro reproduzem a fala dasautoridades norte-americanas, que acusam o Irã de apoiar asmilícias iraquianas que combatem as forças dos EUA e apoiadaspelos norte-americanos. Teerã nega. O esquema de segurança é rígido no Irã xiita e, por isso,os ataques a bomba foram raros nos últimos anos. Várias pessoasforam mortas em 2005 e 2006, em explosões em uma província ondevive uma grande quantidade de sunitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.