Ruben Sprich /Reuters
Ruben Sprich /Reuters

Irã promete abrir programa nuclear para inspeção internacional

Obama diz que reunião na Suíça entre potências e Teerã foi positiva, mas cobra acesso completo às instalações

Efe, Reuters e AP,

01 de outubro de 2009 | 17h53

O Irã se comprometeu nesta quinta-feira, 2, em permitir inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) a instalações de seu programa nuclear, após uma reuniões com representantes de EUA, Reino Unido, China, Rússia, França e Alemanha, em Genebra, na Suíça.

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

blog Blog do Chacra: A história da bomba atômica no Irã

 

O chefe da AIEA, Mohammed El Baradei, deve visitar o Irã nas próximas duas semanas, convidado por autoridades persas. O presidente americano, Barack Obama, considerou positivo o encontro de hoje, mas exigiu que o Irã garanta acesso total a suas instalações atômicas.

"Conversas não substituem a ação. Nossa paciência não é infinita", disse Obama sobre a promessa iraniana.

No encontro, ficou acertada também uma nova reunião entre o chamado sexteto e representantes de Teerã em até 15 dias, de acordo com o chefe de política externa da UE, Javier Solana. Este fato foi apontado por fontes diplomáticas como a prova mais evidente de que há vontade de diálogo e de cooperação.

Nas Nações Unidas (ONU), o ministro das Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, confirmou que a nova usina de Qom, cuja existência era desconhecida da comunidade internacional, será aberta para inspeções.

"A visita de um membro da AIEA está a caminho", disse o diplomata. Segundo ele, o Irã está disposto a discutir uma série de questões, sem mencionar a polêmica nuclear.

De acordo com Solana, foi decidido também que, em coordenação com a AIEA, será retirado urânio enriquecido a baixo nível do Irã e se entregará a um terceiro país, para que o enriqueça até um nível suficiente para ser devolvido ao regime iraniano a fim de utilizá-lo na usina nuclear com fins científicos. O urânio com baixo nível de enriquecimento é utilizado geralmente para produção de energia.

A Rússia já se mostrou disposta a ser o "país terceiro" a enriquecer o urânio o reator nuclear iraniano, afirmaram nesta quinta agências russas citando um funcionário graduado. A proposta foi considerada positiva pelo governo da França.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.