Irã propõe mais diálogo com os EUA sobre segurança no Iraque

O Irã está disposto a conversar mais comos Estados Unidos sobre melhorias na segurança do Iraque, dissenesta quarta-feira o chanceler iraniano, Manouchehr Mottaki. Os EUA também se dizem dispostos a uma nova rodada deconversas com seu velho inimigo, a quem acusa de ajudarmilícias xiitas nos conflitos sectários iraquianos, o que Teerãnega. "Sobre a disposição dos norte-americanos para uma novarodada de conversas, respondo que, sim, consideramospositivamente essa iniciativa", disse Mottaki em entrevistacoletiva em Bagdá, ao lado de seu homólogo iraquiano, HoshiyarZebari. Não estava claro se ele se referia a conversas entreembaixadores ou a uma subcomissão formada por Irã, Iraque e EUApara melhorar a cooperação em questões da segurança iraquiana.Essa subcomissão se reuniu só uma vez, em agosto. "Tive uma resposta positiva (de Mottaki) de que a RepúblicaIslâmica está pronta a continuar o diálogo, porque este é umcanal muito útil e importante para o diálogo e para ajudar asituação do Iraque", disse Zebari a jornalistas. Os EUA na semana passada impuseram sanções a mais de 20empresas, bancos e indivíduos iranianos, além de qualificar aGuarda Revolucionária iraniana como proliferadora de armas dedestruição em massa e seu batalhão de elite Qods como apoiadordo terrorismo. Os militares dos EUA dizem que o batalhão Qods fornecefoguetes, morteiros e sofisticadas bombas a milícias xiitas doIraque, que usariam as armas para matar soldadosnorte-americanos e enfraquecer o governo iraquiano. "Infelizmente, autoridades e o governo dos EUA estãomentindo para seu povo. A República Islâmica do Irã lamenta amorte das pessoas do Iraque, mesmo dos soldadosnorte-americanos", disse Mottaki, que foi a Bagdá preparando-separa a conferência do próximo fim de semana com vizinhos doIraque em Istambul. O embaixador dos EUA em Bagdá, Ryan Crocker, disse nasemana passada que o envolvimento do Irã no Iraque continuasendo "um quadro misto, nublado", mas que mesmo assim haviaexpectativa de mais contatos, ainda não agendados. Crocker se encontrou duas vezes com o embaixador iranianoem Bagdá para formalizar as acusações norte-americanas deinterferência do Irã no Iraque. O primeiro encontro, em maio,foi considerado histórico, já que os dois países não mantêmrelações há quase 30 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.