Irã quer retomar conversas com EUA sobre Iraque

O ministro de Assuntos Exteriores iraniano disse no entanto que o diálogo com Washington "depende do tratamento das forças de ocupação (EUA) com o povo iraquiano"

EFE

13 de julho de 2008 | 15h29

O ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Manushahr Mottaki, afirmou neste domingo, 13, que seu país está disposto a retomar as negociações com os EUA sobre o restabelecimento da segurança no Iraque, caso seja vontade de Washington.  Veja também:Autoridade afirma que Irã destruiria Israel caso atacadoAssad não acredita em paz no Oriente Médio com Bush no poderIrã diz que ataque ao país seria 'loucura'Iraque e Israel negam informação sobre testes aéreos israelensesIsrael ensaia ataque ao Irã, diz jornal; governo israelense nega Rússia: Teste do Irã prova que EUA não precisam de escudoPetróleo nos EUA fecha em alta por preocupação com Irã Mottaki, citado pela agência iraniana "Isna", disse no entanto que a volta de seu país à mesa de diálogo com Washington "dependerá do tratamento das forças de ocupação (EUA) com o povo iraquiano".  O Irã, que não tem relações diplomáticas com os EUA há mais de três décadas, realizou desde maio de 2007 quatro rodadas de negociação com os americanos sobre o Iraque. O regime iraniano assegura que suspendeu em maio passado os contatos com os EUA em protesto pela campanha militar realizada por tropas iraquianas e americanas contra o bairro bagdali de Cidade de Sadr, cujos habitantes são na maioria xiitas. O Irã, cuja população é principalmente de religião muçulmana xiita, tem por essa razão, uma influência especial sobre a majoritária comunidade xiita do Iraque. Os EUA acusam o regime de Teerã de intervir nos assuntos do Iraque e de apoiar com armas grupos insurgentes e milícias radicais xiitas ativas contra as forças da coalizão e do Exército iraquiano.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãIraqueEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.