Irã questiona "ambiguidade' de coalizão liderada pelos EUA contra Estado Islâmico

O Irã disse nesta quinta-feira que a emergente coalizão internacional para combater militantes do Estado Islâmico está “cercada de sérias ambiguidades”, informou a TV iraniana.

REUTERS

11 de setembro de 2014 | 10h36

Combatentes do Estado Islâmico tomaram grandes cidades iraquianas e municípios perto do Irã, e Teerã expressou preocupação sobre o rápido avanço dos rebeldes e do surto de violência.

“A chamada coalizão internacional para combater o grupo... está cercada de sérias ambiguidades e há severas dúvidas sobre sua determinação de sinceramente combater as raízes do terrorismo”, disse a porta-voz do ministério de Relações Exteriores, Marzieh Afkham, à TV estatal.

Ela não mencionou especificamente um pedido do presidente dos EUA, Barack Obama, por uma ampla coalizão para eliminar o Estado Islâmico, e disse que alguns membros desse grupo eram “apoiadores financeiros e militares de terroristas no Iraque e na Síria”.

Obama também disse, na quarta-feira, ter autorizado ataques aéreos norte-americanos pela primeira vez na Síria, além de mais ataques no Iraque, em uma escalada da campanha contra o grupo extremista.

Teerã diz não estar em conversas com Washington sobre a insurgência no Iraque e que, em vez disso, está focado em resolver questões sobre o programa nuclear do país.

“Nas negociações com a América, não há questão discutida além da nuclear”, disse a porta-voz.

(Por Parisa Hafezi)

Mais conteúdo sobre:
IRAOBAMASIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.