Irã responde oferta para encerrar programa nuclear nesta sexta

Para negociador iraniano, Teerã preparou proposta com visão construtiva, criativa e foco no interesse coletivo

Agências internacionais,

04 de julho de 2008 | 07h22

O Irã anunciou nesta sexta-feira, 4, que dará sua resposta às propostas oferecidas pelas maiores potências mundiais para encerrar o impasse sobre seu programa nuclear, disse o negociador nuclear Saeed Jalili, segundo a rede de televisão estatal.   "A República Islâmica preparou e apresentou uma resposta à carta dos seis países com uma visão construtiva e criativa e com foco no interesse coletivo", afirmou ele por telefone ao chefe de política estrangeira da União Européia, Javier Solana, segundo a televisão. "Com base nisso, a resposta da República Islâmica à carta dos ministros de relações externas dos seis países será entregue hoje", disse Jalili.   No mês passado, Solana, em nome das potências mundiais, apresentou ao Irã uma carta de seis ministros de relações externas e um pacote oferecendo ao Teerã incentivos tecnológicos e negociações totais caso suspendesse o enriquecimento de urânio.   Jalili não deu mais detalhes sobre o conteúdo da resposta e nem disse se seria um simples "sim ou não" ao pacote oferecido ou algo mais vago. Ele informou também que os dois lados concordaram que as negociações aconteceriam novamente no final do atual mês iraniano do Tir, que se encerra em duas semanas, sem especificar mais.   O pacote diz que negociações formais sobre a oferta podem iniciar-se assim que o Irã suspender o enriquecimento de urânio, um procedimento que pode ter fins tanto civis quanto militares.  A proposta é uma versão revista de uma oferta feita ao país islâmico em 2006 e que incluía cooperação em um programa civil de energia nuclear bem como a ampliação do comércio nas áreas da aviação, energia, tecnologia de ponta e agricultura. O Irã havia dito antes que desejava realizar as negociações com as potências mundiais, mas rejeitou a possibilidade de suspender a parte mais delicada de seu programa nuclear. O governo iraniano nega que pretenda desenvolver bombas atômicas. Segundo a televisão estatal, Solana disse: "Estou certo de que, ao tomar passos positivos, a atmosfera das negociações será construtiva e criará esperança".   (Com Reuters e Agência Estado)   Matéria atualizada às 9h25.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.