Irã suspende credencial da Reuters

O governo iraniano suspendeu a credencial de imprensa dos funcionários da Reuters em Teerã, depois da veiculação de uma reportagem em vídeo que continha um erro sobre uma academia feminina de artes marciais.

REUTERS

29 de março de 2012 | 17h45

A Reuters, braço noticioso da Thomson Reuters, grupo global de notícias e informação, corrigiu a reportagem depois de receber uma queixa da academia de artes marciais onde ela foi gravada.

A manchete original -"Milhares de mulheres ninjas treinam como assassinas no Irã"- foi corrigida para "Três mil mulheres ninjas treinam no Irã".

O Ministério da Cultura e Orientação Islâmica do Irã posteriormente entrou em contato com o chefe do escritório da Reuters em Teerã para falar do vídeo e da sua divulgação, e por causa disso 11 funcionários da Reuters receberam ordens para entregar suas credenciais de imprensa.

"Admitimos que esse erro ocorreu e o vemos como um assunto muito sério. Ele foi imediatamente corrigido no mesmo dia em que veio à nossa atenção", disse o editor-chefe da Reuters, Stephen J. Adler.

"Além disso, conduzimos uma revisão interna e tomamos as medidas apropriadas para evitar uma repetição".

Adler disse que a Reuters está em negociação com as autoridades iranianas para recuperar o credenciamento.

"A Reuters sempre se esforça em cumprir os mais elevados padrões do jornalismo, e nossa política é admitir os erros honestamente e corrigi-los imediatamente quando ocorrem", acrescentou.

(Texto de Peter Millership)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAREUTERSCREDENCIAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.