Irã testa novo míssil e ameaça fechar rota de petróleo

Guarda Revolucionária diz que pode bloquear o estreito de Ormuz em caso de ataque por programa nuclear

Agência Estado e Reuters,

04 de agosto de 2008 | 07h20

O Irã pode facilmente fechar o estreito de Ormuz, importante rota para o comércio do petróleo, caso o país seja atacado por conta de seu programa nuclear, segundo disse o chefe da Guarda Revolucionária iraniana, o general Mohammad Ali Jafari, à rádio estatal nesta segunda-feira, 4. O comandante militar afirmou ainda que testou uma arma naval capaz de destruir qualquer embarcação em um raio de 300 quilômetros, informou a agência de notícias Fars.   Veja também: Teerã testa com míssil de 300km de alcance   A notícia vem em meio à tensão em relação ao programa nuclear do Irã, que não cumpriu o prazo informal, estabelecido para sábado, para responder à oferta de um pacote de incentivos oferecido pelas potências mundiais em troca da suspensão do programa. "As Guardas Revolucionárias testaram recentemente uma arma naval com alcance de 300 quilômetros, no qual nenhuma embarcação está a salvo e seria afundada"   É provável que o teste do míssil provoque preocupação entre os integrantes do comando militar dos Estados Unidos por conta da significativa presença naval americana no Golfo Pérsico e no Mar da Arábia. Cerca de 40% das exportações mundiais de petróleo passam necessariamente pelo Estreito de Ormuz, uma rota de navegação na fronteira do Irã com o Iraque.   Nos últimos meses, a persistente tensão entre Irã e EUA por causa do programa nuclear da república islâmica manteve o preço do barril de petróleo nos mercados internacionais acima da marca de US$ 120.   Matéria atualizada às 9h40.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.