Irã vai retirar dinheiro depositado em países que impuseram sanções

Após o Conselho de Segurança, EUA e União Europeia também aprovaram restrições contra o país

24 de julho de 2010 | 23h19

TEERÃ- O subdiretor do Banco Central do Irã, Hamid Borhani, afirmou neste sábado, 24, que seu país tirará seus depósitos bancários dos países que impuseram sanções a Teerã.

 

Veja também:

linkBrasil, Irã e Turquia voltam a discutir acordo nuclear

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

 

Em declarações à agência local de notícias "Mehr", Borhani se referia à possibilidade da mudança dos depósitos bancários do Irã de países europeus a países asiáticos.

 

O dinheiro do Irã deve ser administrado de forma a ter, além de segurança, alta rentabilidade e baixos riscos, segundo Borhani.

 

O subdiretor do Bank-e Markazi (Banco Central) do Irã acrescentou que a entidade é responsável pela administração da riqueza do país e deve buscar métodos para garantir sua segurança perante os riscos.

 

"Tiraremos nosso dinheiro de qualquer mercado onde haja riscos e isto é uma medida totalmente lógica e legal", afirmou Borhani.

 

O alto funcionário do Banco Central do Irã disse desconhecer as informações sobre o bloqueio das propriedades de 40 empresas iranianas em Dubai, parte delas estatais, por causa das sanções.

 

Borhani também afirmou que seu país tem grande potencial para receber investimento estrangeiro e acrescentou que "o Banco Central do Irã tem uma postura positiva em relação à presença de bancos estrangeiros".

 

O Conselho de Segurança da ONU aprovou recentemente uma nova resolução sancionadora contra o Irã, a quarta até o momento, por conta de seu controverso programa nuclear, acusado pelas potências ocidentais de ser destinado a construir armas nucleares, o que Teerã nega.

 

A resolução foi seguida por outra série de sanções aprovadas pelos Parlamentos da União Europeia e dos Estados Unidos, que afetam, entre outros, a indústria petrolífera, atividades bancárias e transportes internacionais do Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.