Iraque abre campos petrolíferos a empresas estrangeiras

O Iraque abriu nesta segunda-feira paraas empresas estrangeiras a exploração de suas reservas depetróleo --as terceiras maiores do mundo--, deixando asempresas britânicas e norte-americanas em posição vantajosa,cinco anos depois de as tropas lideradas pelos EUA tereminvadido o país para derrubar Saddam Hussein. A decisão de abrir licitação para a exploração dos maiorescampos petrolíferos iraquianos marcará o retorno ao país dasmaiores petrolíferas mundiais, cuja tecnologia e recursosfinanceiros são necessários ao Iraque para que restaure suainfra-estrutura duramente afetada pelas sanções e a guerra. Mas qualquer vantagem para as empresas britânicas enorte-americanas pode irritar os opositores da invasão, quedizem que a guerra iniciada em 2003 tinha como objetivo dar aempresas petrolíferas ocidentais o controle das reservas depetróleo iraquianas. Autoridades dos Estados Unidos e daGrã-Bretanha negam essa acusação. Ao permitir que empresas estrangeiras ajudem a elevar aprodução de seus principais campos o governo iraquiano estárompendo a política de seus vizinhos que são grandesprodutores, como Arábia Saudita, Kuweit e Emirados ÁrabesUnidos. Nesses países empresas nacionais controlamestreitamente o investimento estrangeiro no setor do petróleo. "Os seis campos petrolíferos abertos hoje são a espinhadorsal da produção de petróleo no Iraque e alguns deles estãoficando velhos, com a produção declinante", disse o ministro doPetróleo, Hussain al-Shahristani, em uma coletiva de imprensa. Ele se referia aos campos de Rumaila, Kirkuk, Zubair, WestQurna Phase 1, Bai Hassan e Maysan -- este último abrange trêscampos separados: Bazargan, Abu Gharab e Fakka. O ministro do Petróleo disse que eles foram abertos paracontratos de exploração de longo prazo. O governo qualificoupreviamente para a licitação 41 empresas estrangeiras. Shahristani disse esperar que os contratos sejam assinadosem junho de 2009 para elevarem a produção a um total de 1,5milhão de barris por dia nesses campos. Ele acrescentou que oIraque pretende aumentar a produção para 4,5 milhões de barrispor dia até 2013. Atualmente o país produz 2,5 milhões debarris por dia. Ele também disse que os estrangeiros que entrarem nalicitação precisam ter um parceiro local com no mínimo 25 porcento de participação no negócio e qualquer empresa interessadana exploração tem de abrir um escritório em Bagdá. Atualmente, poucas empresas estrangeiras estão no Iraquepor causa da precária segurança no país, mas recentes melhoriasna segurança poderiam encorajar investimentos estrangeiros noIraque. Na semana passada o Iraque informou que também pretendeassinar contratos de curto prazo em serviços petrolíferos nopróximo mês. No conjunto, os dois tipos de contrato vão abrir a portapara um grande envolvimento internacional no Iraque, país que émembro da Opep, pela primeira vez em quase quatro décadas. As reservas confirmadas do país são de 115 bilhões debarris, só superadas pelas da Arábia Saudita e Irã. Ovice-primeiro-ministro Barham Salih disse em abril que outrasreservas, ainda não confirmadas, poderiam elevar o total dopaís a 350 bilhões de barris.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.