Iraque convoca gabinete para discutir crise com a Turquia

Ancara tenta aprovar medida que apoia ação militar no norte do país vizinho para combater rebeldes curdos

Efe,

16 de outubro de 2007 | 10h04

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, reuniu o gabinete de crise em caráter de emergência nesta terça-feira, 16, para discutir a situação da fronteira com a Turquia, após os ataques da artilharia turca contra alvos curdos iraquianas nos últimos dias.   Veja também:   Premiê turco espera que ação no Iraque não seja necessária   O vice-presidente sunita do Iraque, Tareq al-Hashemi, chegou nesta terça à Turquia para se reunir com dirigentes desse país e diminuir a tensão produzida pelo grande número de forças militares na fronteira.   Em comunicado divulgado por seu escritório, Maliki pediu que o comitê conjunto formado por Turquia, Iraque e EUA continue seus esforços para conseguir um acordo sobre a fronteira entre os dois países vizinhos.   "O governo iraquiano está interessado em encerrar a crise com a Turquia. Além disso, quer a estabilidade e a segurança dos Estados vizinhos", disse Maliki.   O Executivo turco decidiu na segunda-feira pedir autorização ao Parlamento para uma operação além da fronteira no norte do Iraque, com objetivo de combater os rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), aos quais acusa de utilizar o território iraquiano para lançar seus ataques sobre a Turquia.   Maliki lembra na nota que o Iraque "sempre foi contra soluções militares como meio de resolver a crise entre os dois países".   "O Iraque está pronto para conversas de alto nível com a Turquia com base no respeito mútuo e a não ingerência nos assuntos internos de outro país", acrescenta.   No domingo passado, o Exército turco bombardeou com artilharia pesada algumas localidades curdas no norte do Iraque, perto da fronteira, sem causar vítimas.   Testemunhas disseram que os bombardeios aconteceram na zona de Nasdur, a dois quilômetros da fronteira iraquiana com a Turquia, e na de Kani Masi, onde atingiram a cordilheira de Metin, na província de Duhuk, 460 quilômetros ao norte de Bagdá.

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiaIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.