Iraque culpa Blackwater e pede retirada de agentes

Empresa, porém, diz que seus guardas não cometeram violência deliberada, como aponta o relatório iraquiano

Agências internacionais,

16 de outubro de 2007 | 20h13

Um conselheiro do primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, disse nesta terça-feira, 16, que a investigação sobre um incidente com seguranças privados americanos na Praça Nusoor, em Bagdá, foi concluída e que a empresa Blackwater USA, apontada como culpada, deve deixar o país. A afirmação foi dada em entrevista à rede de notícias CNN.  Em 16 de setembro, um comboio da empresa de segurança norte-americana atirou contra civis, matando 17 iraquianos, incluindo mulheres e crianças, e ferindo 27 pessoas, de acordo com oficiais do Iraque. A Blackwater, que era responsável pela proteção de diplomatas norte-americanos no Iraque, diz que seus guardas não cometeram violência deliberada, como aponta o relatório iraquiano. Os Estados Unidos também investigam o caso e ainda não divulgaram nenhuma conclusão.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueBlackwater

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.