Iraque descarta qualquer atraso na saída das tropas dos EUA

Governo diz que prazos estipulados serão cumpridos; Pentágono sugeriu permanência em Mossul por violência

Efe,

04 de maio de 2009 | 09h28

O governo iraquiano descartou nesta segunda-feira, 4, qualquer atraso na retirada das tropas americanas do país, e confirmou que serão cumpridos os prazos estipulados entre Washington e Bagdá no pacto de segurança assinado no mês de dezembro do ano passado.

 

Veja também:

especialEspecial: Guerra no Iraque: do início ao fim

 

"O governo iraquiano se comprometeu a manter as datas da retirada das tropas americanas, fixada no final de junho no caso das cidades e no final de 2011 para a retirada final do país", segundo um comunicado oficial, que cita o porta-voz do Executivo, Ali Dabbagh. A nota acrescenta que "estes prazos não se estenderão e as datas da retirada se manterão conforme o estabelecido em dezembro", em referência ao acordo assinado no dia 13 desse mês entre o então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki.

 

Com esse pacto, que entrou em vigor em janeiro passado, os EUA se comprometeram a retirar suas tropas das cidades do Iraque em junho de 2009 e a completar a saída definitiva no final de 2011. Além disso, o atual presidente americano, Barack Obama, anunciou o fevereiro passado o fim das operações de combate e a saída do Iraque da maioria dos atuais 144 mil soldados para agosto de 2010.

 

No entanto, fontes do Pentágono sugeriram em meados do mês de abril que as tropas americanas poderiam permanecer em Mossul, no norte do Iraque, depois do dia 30 de junho, devido ao aumento dos níveis de violência nas últimas semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.