Iraque destitui 375 oficiais vinculados ao partido de Saddam

Expulsões ocorrem enquanto país se prepara para eleições; medidas afetaram principalmente sunitas

Efe,

24 de fevereiro de 2010 | 08h09

As autoridades iraquianas expulsaram 375 oficiais do Exército, da Polícia e dos Serviços de Inteligência por suposta vinculação com o partido Baath, que monopolizou o poder durante o regime do ex-ditador Saddam Hussein, informou nesta o jornal internacional árabe Al-Hayat.

 

Segundo o principal responsável da Comissão de Justiça e Investigação, Ali al-Lami, 20 dos oficiais expulsos eram importantes dirigentes dos corpos de segurança e do Exército. "A Comissão de Justiça e Igualdade decidiu destituir esses oficiais ao aplicar as leis relacionadas com a erradicação do partido Baath", declarou al-Lami ao jornal.

 

VEJA TAMBÉM:
Guerra do Iraque: do início ao início do fim

Após a queda do regime de Saddam Hussein em abril de 2003, o então governo de transição emitiu uma lei para a erradicação da vida pública de todas aquelas pessoas com vínculos com o antigo partido no poder.

 

A comissão dirigida por al-Lami, criada em janeiro de 2008, é encarregada de investigar as pessoas com supostas relações com o Baath. Entre os nomes de destaque entre os exonerados estão Abud Qandar, antigo responsável pela segurança em Bagdá; Osman al-Ganimi, chefe de operações na zona central do Eufrates; e Alaa Salman al-Jassim, diretor da Inteligência Militar do Exército.

 

As medidas, promovidas pela Comissão de Justiça e Investigação e respaldadas pelo governo - de maioria xiita, afetaram, sobretudo, personalidades sunitas, o que despertou em muitos o medo de uma deterioração do cenário político do país.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueBaathSaddamSaddam Hussein

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.