Iraque espera grande redução de tropa estrangeira antes de 2009

A presença militar estrangeira no Iraquepode cair abaixo de 100 mil soldados até o final de 2008, casoas forças locais estejam preparadas para substituí-las e asameaças tenham diminuído, disse na quarta-feira Mowaffaqal-Rubaie, assessor de Segurança Nacional do governo. O general David Petraeus, comandante dos Estados Unidos noIraque, recomendou ao Congresso do seu país a retirada de cercade 30 mil soldados até julho devido à redução da violência noIraque. Isso deixaria os EUA com cerca de 130 mil militares noIraque, aproximadamente o mesmo número que havia antes de opresidente George W. Bush determinar o envio de reforços, nesteano. "Talvez não esteja longe da verdade se dissermos que até ofinal do ano que vem as forças multinacionais seriam menos de100 mil", disse Rubaie em entrevista coletiva. "Tudo dependedas circunstâncias de segurança e do nível de ameaça, sejadentro do país ou na região. Também depende do nível detreinamento das forças iraquianas." Ele não se referia especificamente à presença militar dosEUA, embora a maioria das tropas de ocupação seja denorte-americanos. Petraeus disse na segunda-feira que a redução docontingente continuaria durante o segundo semestre de 2008, masque seria prematuro estimar agora qual seria o ritmo daretirada -- avaliação que, segundo ele, poderá ser feita só apartir de março. Rubaie não contestou as projeções de Petraeus, mas tambémnão deu seu aval explícito. Os governos do Iraque e dos EUA vêm alardeando uma queda naviolência desde o envio de reforços. Na terça-feira, Rubaie disse que todas as unidades doExército iraquiano estarão treinadas e equipadas até meados de2008. Mais de 80 por cento do Exército local já têm capacidadede assumir a liderança em operações de combate, segundo ele,que estimou o total das forças iraquianas em 500 mil. (Com reportagem de Paul Tait)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.