Iraque exige cronograma 'muito claro' de retirada dos EUA

Os Estados Unidos tem de fornecer umcronograma "muito claro" da retirada de suas tropas do Iraquecomo parte de um acordo para permitir a permanência deles nopaís além deste ano, disse o ministro das Relações Exterioresdo Iraque, Hoshiyar Zebari, no domingo. Esta foi a mais forte declaração do Iraque até agoraexigindo um cronograma. O presidente dos Estados Unidos, GeorgeW. Bush, vem há tempos resistindo em firmar uma programaçãopara a retirada das tropas do Iraque, embora no mês passado aCasa Branca tenha começado a falar em termos gerais sobre osobjetivos e datas para uma retirada. Os líderes iraquianos se tornaram mais confiantes em suahabilidade para manter a segurança sozinhos já que o país ficoumais seguro. Mas bombardeios que mataram pelo menos novepessoas no domingo são uma lembrança de que o Iraque ainda é umlugar violento. Em uma entrevista à Reuters, Zebari disse que o acordo,incluindo um cronograma, estava "muito próximo" e poderiaprovavelmente ser apresentando ao parlamento do Iraque noinício de setembro. Questionado se o país aceitará um documento que não incluadatas para a retirada, Zebari respondeu: "Não, não.Definitivamente tem de haver um cronograma muito claro." "As negociações ainda estão em andamento. Houve um grandeprogresso. O acordo está muito próximo. Está prestes a serfechado", disse Zebari sobre o acordo que vai substituir aresolução do Conselho de Segurança da ONU que autoriza apresença norte-americana e expira no fim deste ano. Um ponto polêmico nas negociações é o desejo de Washingtonde que suas tropas fiquem imunes às leis do Iraque. Em julho, ovice-presidente do parlamento iraquiano disse à Reuters quelegisladores deveriam vetar qualquer acordo em que essacondição seja atendida. Outros obstáculos incluem o poder do exército dos EstadosUnidos de deter cidadãos iraquianos, e a autoridade deles emconduzir operações militares, disse Zebari. "Nossosnegociadores realmente chegaram a um termo comum em todos essesassuntos." Ele não quis precisar a data que os negociadores iraquianosquerem para a retirada. Autoridades iraquianas disseramanteriormente que gostariam de ver todas as tropas fora do paísaté outubro de 2010. Um acordo com esse prazo vai requerer que a administraçãoBush aceite efetivamente cronograma quase idêntico ao propostopelo candidato democrata à presidência Barack Obama, que seopôs à invasão em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.