Iraque fecha a maior refinaria de petróleo devido a ataques

Militantes atacaram a maior refinaria de petróleo do Iraque no sábado, matando quatro trabalhadores, detonando bombas e provocando um grande incêndio que levou ao fechamento da instalação no norte do Iraque, segundo autoridades.

SABAH AL-BAZEE, REUTERS

26 de fevereiro de 2011 | 10h43

Na cidade de Samawa, uma segunda refinaria foi fechada devido ao fogo, mas autoridades disseram que os relatórios iniciais apontam para uma falha mecânica e não ataques de insurgentes.

Os militantes colocaram explosivos em uma unidade de produção de querosene e benzeno na refinaria do norte na cidade de Baiji, um antigo reduto da Al Qaeda a 180 km de Bagdá, informou o governador da província de Salahuddin, Ahmed al-Jubouri.

"A refinaria parou completamente", disse Jubouri à Reuters. "É uma grande perda para todo o país. Todas as cidades do Iraque dependem da sua produção."

O ministro do Petróleo, Abdul-Kareem Luaibi, disse que o "ataque terrorista" atingiu apenas uma unidade de produção, que estava sob manutenção, e as unidades restantes não foram danificadas.

"O ataque faz parte de um plano terrorista que visa as instalações petrolíferas do Iraque e tem como objetivo minar o Ministério do Petróleo, depois do seu êxito no fornecimento de produtos de petróleo para satisfazer as necessidades internas", disse ele em um comunicado lido para a Reuters.

A explosão, que aconteceu antes do amanhecer, causou o incêndio que foi controlado cerca de cinco horas depois, com a ação de mais de 50 carros de bombeiros.

O Iraque não exporta petróleo, já que utiliza toda a sua produção para geração de energia para o consumo doméstico.

(Reportagem adicional de Ahmed Rasheed em Bagdá e Aref Mohammed em Basra)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEATAQUEREFINARIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.