Iraque não precisa de muitas tropas estrangeiras, diz premiê

Retirada de tropas dos Estados Unidos, que se inicia em junho, deve ser concluída no final de 2011

Efe

10 de maio de 2009 | 10h59

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, reiterou neste domingo, 10, que seu país não precisa mais de um "grande número" de militares estrangeiros nas cidades, graças à evolução propícia da situação de segurança.

 

Maliki fez estas declarações durante sua reunião com a presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, que chegou a Bagdá neste domingo em uma visita surpresa.

 

Washington e Bagdá assinaram, em 13 de dezembro, um acordo no qual os EUA se comprometeram a retirar suas tropas das cidades iraquianas em junho de 2009 e a completar a saída definitiva no final de 2011.

 

O primeiro-ministro disse que os esforços iraquianos se concentram, atualmente, em melhorar o corpo dos serviços de inteligência iraquianos, e destacou que uma "retirada responsável" das tropas da coalizão não afetará a segurança do país.

 

O chefe do Governo iraquiano disse também que seu Gabinete está trabalhando para melhorar as relações bilaterais com os Estados Unidos nos diferentes campos.

 

Sobre isso, pediu ao Congresso americano para colaborar no desenvolvimento das relações econômicas e científicas entre Iraque e EUA, segundo o acordo assinado entre os dois Estados.

 

Pelosi disse que os EUA apoiam os esforços do Governo iraquiano destinados a manter a estabilidade do país.

 

Além disso, expressou o apoio dos Estados Unidos ao processo de reconciliação nacional, à reconstrução do Iraque e ao desenvolvimento de sua economia.

 

Não se sabe se Pelosi terá reuniões com outros dirigentes iraquianos durante esta visita ao país árabe.

 

Pelosi, democrata pela Califórnia, visitou o Iraque em 17 de maio de 2008. Naquela ocasião, reuniu-se também com Maliki e com o então presidente do Parlamento iraquiano, Mahmoud al-Mashhadani, além de outros dirigentes políticos.

 

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, havia sido a última alta responsável do Governo de Barack Obama a visitar o Iraque, em 25 de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquetropassegurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.