Iraque permite que baathistas voltem a trabalho; EUA elogiam

O Parlamento iraquiano aprovou nestesábado a autorização para que milhares de membros do PartidoBaath de Saddam Hussein voltem a seus empregos no governo,ganhando elogios de Washington por dar um passo importante emdireção a uma reconciliação sectária. A lei é a primeira de uma série de medidas que Washingtontem pressionado, há bastante tempo, governo liderado pelosxiitas a aprovar, em um esforço para atrair a minoria sunitaque detinha influência sob Saddam no processo político. "Esta lei preserva os direitos do povo iraquiano após oscrimes cometidos pelo Partido Baath enquanto beneficia osmembros inocentes do partido. Esta lei dá mais equilíbrio",disse o porta-voz do governo Ali al-Dabbagh. Washington introduziu o "a desbaatificação" quandoadministrou o Iraque entre 2003 e 04, mas depois percebeu queas medidas foram longe demais e pediu que os líderes iraquianosaliviassem as medidas. Mirembe Nantongo, porta-voz da embaixada norte-americana,disse: "Nós parabenizamos o povo iraquiano pela aprovação dalei. É um passo importante em direção à reconciliação nacionale demonstra que o processo político está funcionando noIraque". Dana Perino, porta-voz da Casa Branca, viajando com opresidente George W. Bush, disse a repórteres em Barein: "Istoé uma coisa que mostra que os iraquianos estão comprometidos emresolver o difícil problema da reconciliação". A não aprovação da lei no ano passado foi vista como um demuitos sinais de que o progresso político para umareconciliação estava estagnado mesmo com as melhoras nasegurança. O enviado da Organização das Nações Unidos, Staffan deMistura, disse à Reuters: "Isto é boa notícia e um passoacertado na longa caminhada em direção à reconciliaçãonacional".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.